Novidades?
Home / Blog / Enfermagem / ROTATATIVIDADE DE AUXILIARES DE ENFERMAGEM EM UMA EMPRESA DE HOME CARE

- ROTATATIVIDADE DE AUXILIARES DE ENFERMAGEM EM UMA EMPRESA DE HOME CARE

ROTATATIVIDADE DE AUXILIARES DE ENFERMAGEM EM UMA EMPRESA DE HOME CARE

No passado, os administradores tomavam decisões sem considerar aspectos hoje extremamente relevantes, pois os cenários eram menos suscetíveis a mudanças. Com a globalização, o avanço tecnológico, a concorrência de mercado e as novas práticas de gestão, novos conceitos surgiram, exigindo dos profissionais maior nível de conhecimento, qualificação e competência (MAXIMIANO, 2004).

Diante do cenário caracterizado por rápidas mudanças no campo político, cultural, econômico e social, a gestão estratégica torna-se essencial para a sustentabilidade organizacional. Nesse sentido, a estratégia define o comportamento de uma organização num cenário mutável, dinâmico e competitivo. A estratégia é balizada por dois tipos de análise: A análise ambiental para avaliar as oportunidades e ameaças e a análise organizacional para identificar os pontos fortes e fracos da organização (CHIAVENTATO, 2004).

A análise da situação estratégica pode ser realizada refletindo-se sobre o passado para definir o futuro nos seguintes aspectos: modelo de negócio em relação a produtos e mercados, vantagens competitivas, desempenho e uso de recursos. A empresa deve definir um plano estratégico qual a participação dos produtos nas vendas. As principais vantagens competitivas podem ser apresentadas por: qualidade do produto ou serviço, baixo custo operacional, preços reduzidos no mercado, eficiência no sistema de distribuição e velocidades nas inovações. O desempenho operacional pode ser medido através de indicadores. Quando se prioriza a gestão estratégica, as pessoas e os recursos financeiros, materiais e mercadológicos são alocados de forma coerentes para se alcançar os objetivos (MAXIMIANO, 2004).

É na análise da gestão estratégica de recursos humanos que a empresa Saúde Residence Atendimento Médico Ltda percebe uma de suas grandes dificuldades na gestão de pessoas, que é alto o índice de rotatividade de pessoal no cargo auxiliar de enfermagem. Esse é um fator que compromete o desenvolvimento organizacional. Para ultrapassar essa barreira iniciou-se um estudo com o objetivo de reduzir a rotatividade.

A importância dessas entrevistas é ressaltada por Chiavenato (2004). Quando um trabalhador se desliga de uma organização, ele deve passar por uma entrevista de desligamento para deixar suas impressões quanto à organização, às políticas de gestão pessoas e aos motivos de sua saída. Essa entrevista pode ser realizada por seu superior imediato ou por algum profissional de recursos humanos. A partir das informações coletadas, a organização poderá ter subsídios para corrigir distorções, visando a melhoria de desempenho na organização.

O objetivo deste artigo e descrever o estudo realizado para compreender as causas da rotatividade de pessoal no cargo específico de auxiliar de enfermagem no corpo da empresa Saúde Residence Atendimento Médico Ltda.
Esse estudo tem como objetivo compreender os motivos dos desligamentos de funcionários e apresentar alternativas de solução. Como a rotatividade indica os índices de entrada (admissão) e de saída (demissão), o ponto de partida foi à tabulação e análise das respostas emitidas pelos demissionários nas entrevistas de desligamento, e uma pesquisa de clima organizacional entre uma amostra de ativos, para verificar as possíveis causas para o pedido de desligamento.

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS



A rotatividade é um dos problemas que mais trás preocupações para as empresas nos dias atuais, considerando que provoca a redução da produtividade e dificuldades de relacionamento, mudanças, normatizações e principalmente, em se tratando de empregabilidade de conhecimentos e experiências, bem como, pela redução do desempenho e dos resultados organizacionais. Por essa razão esse estudo, busca tratar da rotatividade considerando a opinião e a visão de diferentes autores sobre o assunto, comparando e discutindo com dados obtidos através de estudo de caso junto a uma empresa na área da saúde, buscando verificar as causas e conseqüências da rotatividade, para as organizações.

Outros Assuntos
O QUE LEVA OS PROFISSIONAIS DA AREA DE ENFERMAGEM A ENTRAR NO INSS POR ESTRESSE
55

Enfermagem - O QUE LEVA OS PROFISSIONAIS DA AREA DE ENFERMAGEM A ENTRAR NO INSS POR ESTRESSE

Enfermagem - Atualmente, o estresse desenvolvido no ambiente de trabalho do profissional de

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM HEMODIÁLISE
56

Enfermagem - ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM HEMODIÁLISE

Enfermagem - Muitas pessoas bem informadas podem não saber que a assistência de enfermagem é padronizada

CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO
63

Enfermagem - CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO

Enfermagem - Em pacientes com doenças cardiovasculares, a morte súbita ocorre de 4 a 6 vezes mais naqueles